CHEGAMOS A 1.000.000

CHEGAMOS A 1 MILHÃO DE ACESSOS. OBRIGADO;

sexta-feira, 1 de março de 2019

Criança de dois anos morre por meningite bacteriana, em Leopoldina


A morte de uma criança do sexo masculino, de dois anos e três meses de idade por meningite, em Leopoldina, foi confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), ontem, dia 28 de fevereiro. O menino faleceu no dia 19 de fevereiro na Casa de Caridade do município.
De acordo com a SES-MG, o caso foi notificado, investigado e todas as medidas de controle indicadas já foram adotadas. Exames clínicos confirmaram que a causa da morte foi uma meningite bacteriana. A Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte, está realizando a pesquisa do agente causador dentre aqueles mais frequentes no Brasil.
As meningites bacterianas são causadas por várias bactérias, mas a suspeita inicial é que a doença tenha sido meningocócica, cujo grupo tem nove tipos de bactérias (ou sorogrupos) que podem causar a doença. São elas: A, B, C, D, X, Y, Z, 29-E e W-135. As meningites A, B e C são as mais frequentes, conforme a SES-MG. Apesar disso, a secretaria afirma que outras bactérias também estão sendo pesquisadas.
Após a notificação, foram realizados levantamentos da situação vacinal e identificação das pessoas que tiveram relações de contato íntimo e prolongado com a criança. Em casos com contato íntimo evidente foi realizada a quimioprofilaxia medicamentosa por uma equipe da Vigilância Epidemiológica municipal.
Uma pesquisa sobre o agente causador da meningite, dentre os mais frequentes no Brasil, também é realizada pela Funed e deve ser liberada para a Vigilância de Leopoldina até o final da próxima semana. Contudo, a SES-MG afirma que a finalidade do resultado é apenas de caráter epidemiológico e não altera nem invalida nenhuma das ações já tomadas.
Conforme a SES-MG, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece no calendário básico vacinas que protegem contra vários agentes causadores da meningite, como a BCG, que protege contra a meningite tuberculosa, e tríplice viral, que imuniza pacientes contra meningite por sarampo e caxumba.
Além destas, são ofertadas pelo SUS a vacina pentavalente, que protege contra a meningite por Haemofilos influenzae B em crianças abaixo de cinco anos, a vacina meningocócica C conjugada, que protege contra meningite Meningocócica do tipo C, e vacinas pneumocócicas conjugadas 10 valente, que protege contra 10 tipos de meningite pneumocócica e que corresponde ao conjunto de vacinas consideradas de interesse prioritário à saúde pública do país.
Além disso, a SES-MG afirma que o setor privado também oferece outras vacinas, de maneira comercializada, que servem como alternativas disponíveis para quem possa pagar.
No entanto, a secretaria ressaltou que ainda não existem vacinas eficazes contra todos os sorogrupos de meningite meningocócica e nem contra todas as outras espécies de micro-organismos que possam causar meningites.
Desta forma, a vigilância constante e medidas preventivas são imprescindíveis ao controle destas doenças, afirma a secretaria.
O calendário básico de vacinação pode ser acessado no site do Ministério da Saúde.
Conforme a SES-MG, a meningite é uma doença que ocorre durante todo o ano, em diversos países e de forma endêmica, e é causada por vários agentes etiológicos. Por isso, afirma que não há motivo de alarde ou preocupação para moradores de Leopoldina e região, pois todas as medidas de prevenção já foram tomadas pela Vigilância Epidemiológica municipal.
A recomendação da Secretaria é para que a população siga o calendário básico de vacinação de rotina contra a doença. (AS – 01/03/2019 - Foto meramente ilustrativa)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.